Memória digital está prejudicando a memória humana

Memória de longo prazo estaria sendo prejudicada, segundo nova pesquisa.

Se você ficou preocupado com a notícia de que peixinhos dourados atualmente possuem mais atenção do que os seres humanos, talvez seja importante continuar lendo este texto.

Um novo estudo, realizado por uma empresa de cibersegurança do Reino Unido, demonstrou que estamos cada vez mais dependentes dos dispositivos digitais para guardar novas informações.

Nossa memória pertence às máquinas

O estudo relatou que, muitos adultos se lembravam de números de telefones memorizados ainda na infância, porém, eram incapazes de memorizar novos contatos, até mesmo de pessoas mais próximas.

Essa interessante descoberta estaria correlacionada ao uso de dispositivos digitais: ao dependermos cada vez mais das máquinas para armazenar informações, estaríamos impedindo a criação das chamadas memórias de longo prazo.

Ao todo, 6 mil adultos de diversos países tiveram seus hábitos analisados e, mais de um terço admitiu que frequentemente procura dispositivos para verificar uma informação, antes mesmo de buscar na própria memória.

Quer um exemplo bem prático? Qual foi a última vez que você digitou os números antes de telefonar para alguém? Na maioria dos casos, buscamos pelo contato na lista e, nem ao menos, visualizamos os números.

Amnésia digital e o que nos espera no futuro

Esses novos hábitos podem parecer inofensivos, mas a longo prazo serão capazes de afetar o desenvolvimento da nossa memória natural. Cada vez que buscamos uma informação na internet, estamos deixando de exercitar o cérebro.

Isso estaria ocasionando a chamada “amnésia digital”, ou seja, a facilidade de esquecer informações importantes, apenas porque podemos buscar na internet sempre que necessário.

O risco dessa dependência exagerada não é nenhum mistério: no futuro podemos ter ainda mais dificuldade em não produzir memórias de longo prazo e, até mesmo, perder a referência da ordem dos acontecimentos.

A busca facilitada de dados no meio digital vai de encontro ao processo de memorização exercido naturalmente pelo cérebro.

Como contornar a situação

A saída estaria justamente no ato de exercitar e desafiar a memória com exercícios. Além disso, manter certa autonomia em algumas tarefas é um ótimo jeito de começar a cuidar da sua memória.

Da próxima vez que ligar para alguém, que tal tentar buscar na sua mente os números e só depois digitar no teclado?

Topa esse desafio?

Fonte BBC

Deixe uma resposta