As 3 ferramentas de comunicação na linguagem do bebê

Em nosso último artigo tratamos da linguagem ritual dos bebês, um tema essencial para começar a compreender as formas efetivas de comunicação com a criança pequena.

No presente artigo vamos um pouco além nesse assunto.

É certo que, como qualquer idioma, aprender a linguagem dos bebês requer estudo, dedicação e treinamento prático.

Mas algumas coisas básicas podem nos ajudar no início dessa caminhada, como reconhecer que existem três ferramentas essenciais, por meio das quais, tecemos a linguagem dos bebês. São elas a fala, o olhar e o toque corporal. Vejamos cada uma de forma mais detalhada.

O Olhar

O olhar é o primeiro elemento autônomo do bebê. O que significa que através dos olhos e do olhar podemos pela primeira vez observar esse pequeno ser humano expressar sua própria vontade. Ele não controla seu corpo, não pode falar nem gesticular, mas pode olhar e demonstrar o que quer através dos olhos.

A recomendação mais básica e essencial nesse sentido é que os pais possam desenvolver um olhar direto para os olhos dos bebês.

Essa simples prática tem um efeito absolutamente incrível no desenvolvimento neural das crianças e influenciará toda a capacidade de vida social, que esse ser humano terá ao longo de sua vida.

A Fala

De forma geral podemos dizer que as palavras são alimentos psicológicos insubstituíveis.

Elas acalentam, acalmam, contém as ansiedades do bebê e, em termos científicos, exercem um efeito plástico sobre seu cérebro. Por isso, falar com os bebês é definitivo para a formação de sua inteligência.

O assunto é ainda mais profundo e preciso: a maneira como falamos, a forma como colocamos as palavras em cada momento e a entonação de cada frase são elementos importantes da fala. Não se trata tanto do significado do que falamos, mas de uma fala rítmica, ritual, musical, que precisaremos aprender e praticar.

O Toque Corporal

Com o toque, por sua vez, temos a oportunidade de mostrar ao bebê uma das coisas mais importantes para o início de sua vida: o quanto ele é amado!

Pois na pele do bebê estão os grandes captadores de suas primeiras emoções e sentimentos e, através desse incrível órgão inteligente que é a pele, o bebê pode experimentar o mundo de forma sutil e precisa, e também receber nossas mais profundas mensagens afetivas.

A pela na verdade é o próprio sistema nervoso do bebê. Quase tudo o que ele apreende do mundo a sua volta é absorvido e interpretado através da pele. Por isso, devemos saber que o contato pele com pele é um elemento essencial para a comunicação efetiva com os bebês.

Por fim, podemos dizer que as recomendações que aqui encontramos sobre a linguagem dos bebês não são difíceis e complexas. Muito pelo contrário, são bastante simples. A diferença está em aplicá-las.

Comunicar, como diz a própria palavra, é encontrar o que há em comum entre um ser humano e outro. É a forma de compartilharmos experiências e de não nos sentirmos sozinhos.

Assim, é tão importante conhecermos a linguagem dos bebês, para estarmos juntos e próximos de nossos pequenos, acompanhando-os nessa desafiadora caminhada da vida, que para eles está apenas começando.

Com essas palavras registramos para todos os pais e seus bebês, o nosso sincero desejo de uma bela jornada!

Deixe uma resposta